Histórico

O NUFRA – Núcleo Fragmentos da Arte vem atuando desde 2007 na cidade de São Paulo, passando pela região leste, central, sul e norte.

A primeira ação da equipe resultou na implantação da biblioteca comunitária Maria Cursi. Em seguida foi realizada a produção de dois vídeos documentários (São Mateus em Movimento e CEC Maria Cursi) carregando o nome do projeto como Perifação. Após as produções dos documentários fomos estimulados a produzir um evento que chamamos de “São Mateus em Movimento”, em busca do resgate histórico individual e coletivo do local (questões trabalhadas em pesquisa e produção dos vídeos). No evento produzido ocorreram atividades voltadas à leitura, apresentação de monólogo teatral, exibição do vídeo documentário São Mateus em movimento e a exposição de fotografia “São Mateus em Foco”.

Após o evento 95% das pessoas entraram em contato com o grupo para saber se existia previsão de novas ações; foi quando o edital “Criando Asas” abriu inscrições e decidimos nos inscrever, visando atender ao apelo de moradores (espectadores e 69 depoentes dos documentários) que a todo o momento solicitavam novas ações. Dentre os pedidos surgiu a idéia de fazer um projeto de mostras itinerantes de cinema e vídeos na região de São Mateus.

Quando enviamos o projeto e resolvemos atuar com mais uma região – “Sapopemba” -, fomos selecionados e conseguimos comprar um equipamento que não era muito bom, mas que supria a necessidade por um período. No decorrer do projeto construímos um acervo com aproximadamente 160 vídeos curtas-metragens (procedentes de escolas de vídeo como o Instituto Criar de TV, Cinema e Novas Mídias, Oficinas Tela Brasil, Cineasta Jeferson De e diversos grupos independentes como Cinema de Guerrilha).

Durante o projeto apoiado pela Red Bull exibimos 82 vídeos curtas-metragens, em 09 mostras que chegou a atingir 900 pessoas de diversas faixas etárias, porém todos moradores ou trabalhadores da Periferia. E ainda neste momento acabamos participando do ENTRETODOS (Festival de Curtas Metragens Sobre Direitos Humanos), como grupo de projeção itinerante. Realizamos projeções em Ermelino Matarazzo, Moóca no Arsenal da Esperança, entidade que acolhe aproximadamente 1.150 homens em situação de rua, na Casa de Cultura de São Mateus e escola no Jardim da Conquista e Jardim São Francisco.

Em 2009, realizamos 8 mostras de curtas metragens na (AMSF) Associação de Moradores do Jardim São Francisco com programas do Coletivo de Vídeo Popular. Já em 2010, o Perifacine realizou 52 mostras de curtas metragens primeiro em 14 unidades Fundação Casa das regiões Brás, Pirituba, Vila Leopoldina, Raposo Tavares e Franco da Rocha, passando por escola, ONGs, Praça da Sé, Praça Vila Maria Zélia, Galpão de Teatro, Espaço de convivência onde a população de rua freqüenta para tomar chá, Ruas, Casa de Acolhida (albergue), CDM (Centro Desportivo Municipal), CEDECA (Centro de Defesa da Criança e do Adolescente) e outros locais.

Ainda no mesmo ano aplicamos a ÓIA – Oficina de Iniciação Audiovisual que teve como público alvo pessoas em situação de rua. A oficina ocorreu no período de novembro de 2010 a janeiro de 2011 e perfazendo uma carga horária de 100 horas de aula aplicadas em 35 dias. A partir de Fevereiro começamos a pós produção dos vídeos produzidos na oficina de vídeo e nestes conseguimos obter 3 vídeos e uma exposição fotográfica chamada “Olhares Internos”. Após a finalização dos produtos da oficina realizamos 6 mostras dos resultados da oficina.

Como não tivemos pausa nas ações ainda em 2011, com apoio do Programa VAI realizamos mais 07 exibições na Fundação Casa nas unidades do Brás e com essas exibições superamos o número de exibições e público atendido que foram cerca de 4000 pessoas entre 2010 e janeiro de 2011.

Em 2011 o projeto Perifacine foi convidado pelo Instituto Criar de TV e Cinema para realizar exibições dos vídeos produzidos pelo IV Prêmio Criando Asas com objetivo de ir aos locais de produções e realizar a difusão dando um retorno para as comunidades do processo de criação que fizeram parte de uma forma ou outra e tabém visou fazer intercâmbio entre os projetos contemplados.

Aconteceram 4 exibições, sendo duas no Centro Franciscano de Reinserção Social (Sé de centro São Paulo), outra no Barzinho Cultural Monte Azul (Zona Sul de São Paulo) e por último chegamos em Guarulhos para fechar o circuito de exibição via parceria do Instituto Criar. Sendo assim até o final de abril de 2011 o projeto Perifacine, já realizou 12 exibições no ano e muito mais estão vindo, pois fomos contemplados novamente com apoio do Programa VAI da Secretária Municipal de Cultura de São Paulo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s